MOBILIZAÇÃO CONTRA REFORMA ADMINISTRATIVA

Sindicato

ATENDIMENTO DA SEDUFSM

A Sedufsm informa que a partir de segunda, 23 de março, a sede do sindicato estará fechada e todos os atendimentos serão realizados de forma remota (online), por tempo indeterminado. Os (as) sindicalizados (as) poderão entrar em contato com a entidade das 8h às 12h e das 14h às 18h através do e-mail sedufsm@terra.com.br ou dos telefones (55) 99614-2696 e (55) 99935-8017.


Espaço Cultural

Reflexões Docentes

Contatos SEDUFSM

(55) 3222 5765

Segunda à Sexta
08h às 12h e 14h às 18h

Endereço

SEDUFSM
Rua André Marques, 665
Centro, Santa Maria - RS
97010-041

Email

Fale Conosco - escreva para:
sedufsm@terra.com.br

Twitter

SEDUFSM

Facebook

SEDUFSM

Youtube

SEDUFSM

Notícias

26/01/2015   26/01/15 17h04 | A+ A- | 2466 visualizações

UFSM é afetada pelo corte de R$ 7 bi no orçamento do MEC

Pró-reitor: investimento em obras e equipamentos está comprometido até que orçamento seja integral


UFSM diz que manutenção básica e assistência estudantil vêm sendo garantidas

Como diversas outras Instituições de Ensino Superior (IFE) pelo país, a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) também vem sendo afetada pelo bloqueio de R$ 7 bilhões no orçamento do Ministério da Educação. No início deste mês, a presidente Dilma Rousseff assinou o Decreto Federal 8.389/2015, determinando que cada órgão do Executivo terá um contingenciamento imediato de 39% no orçamento previsto até que a Lei Orçamentária Anual (LOA) deste ano seja aprovada pelo Congresso Nacional.

Embora garanta que a instituição está se planejando para que os efeitos desse corte sejam minimizados, o pró-reitor adjunto de Planejamento, Joeder Campos Soares, diz que o bloqueio federal às verbas para a educação impactou, sim, no custeio da universidade. “Normalmente nessa época do ano, quando não existe a aprovação da Lei Orçamentária, o governo libera um doze avos (1/12) do orçamento previsto para o ano. Em função desse novo contingenciamento, houve a liberação, desta vez, de um dezoito avos (1/18). O governo não fez liberação para aquisição de equipamentos, aplicação nas obras, expansões na universidade. Estamos com orçamento contingenciado”, explica Soares, em entrevista à SEDUFSM.

Ele informa que a equipe da UFSM está fazendo seu ‘dever de casa’ e conseguindo garantir as bolsas estudantis e o custeio das atividades básicas – como energia, água e telefonia. Contudo, esse é o máximo que pode ser feito neste momento. “Conseguiremos aplicar os recursos apenas para a manutenção da instituição e para as bolsas de assistência estudantil. Mas não conseguiremos aplicar recursos nos investimentos da instituição, como obras e aquisição de equipamentos, até que haja a integralidade do orçamento”, conclui o pró-reitor, citando os novos cursos da UFSM como um dos setores afetados pelo corte orçamentário.

Unifesp divulga nota sobre cortes do governo

Na última terça-feira, 20 de janeiro, a Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) emitiu nota tratando sobre os cortes orçamentários feitos pelo governo federal e os problemas que isso vem ocasionando à universidade. No texto, a instituição observa que a situação financeira das IFE brasileiras é ainda mais difícil daquela vivida em 2014 e que, na UNIFESP, o orçamento liberado fica aquém do porte da instituição.

"Este cenário nos obriga a reavaliar medidas a cada instante devido à falta de recursos. Dentre estas está a suspensão de contratos ou cortes parciais nos mesmos. A Reitoria e diretorias acadêmicas dos campi estão trabalhando para a manutenção dos serviços essenciais enquanto a política de contingenciamento vigorar. Porém, não sabemos ainda quais impactos isso produzirá sobre as atividades de ensino, pesquisa e extensão, incluindo também o hospital universitário”, diz trecho do documento, que pode ser conferido, na íntegra, aqui.

Já na Universidade Federal Fluminense (UFF) os cortes do governo levaram a Pró-reitoria de Assuntos Estudantis a suspender temporariamente, na última semana, o recebimento de solicitações para viagens nacionais. “Devido a restrições orçamentárias do governo federal, a partir da data de hoje, 16 de janeiro, fica suspenso temporariamente o recebimento de novas solicitações de viagens nacionais individuais e coletivas, no âmbito do Programa Pró-Aluno. As solicitações já recebidas serão avaliadas conforme o programa e a decisão será comunicada ao proponente com antecedência”, informa a instituição em sua página na internet.

Problemas financeiros

Mesmo antes do anúncio do ajuste fiscal, algumas Instituições Federais já vinham sofrendo para honrar com o pagamento de contratos com empresas terceirizadas e também com a manutenção da infraestrutura de salas, laboratórios, bibliotecas, restaurantes universitários, entre outros.

Trabalhadores terceirizados nas áreas de manutenção, limpeza e segurança da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), da Universidade de Brasília (UnB), da Federal da Bahia e da Universidade Federal de São Carlos (Ufscar), entre outros, estão com salários atrasados desde o final do ano passado.

 

Texto: Bruna Homrich, com informações do ANDES-SN

Imagem: Arquivo/SEDUFSM

Assessoria de Imprensa da SEDUFSM



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2020 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet