Notícias

14/11/2019 | A+ A- | 215 visualizações

Como o drama orçamentário influencia a saúde dos pesquisadores?

Jornal da Sedufsm tenta responder a esta questão com depoimentos de pós-graduandos


Edição ainda traz entrevista sobre a relação entre a dívida pública e o investimento decrescente em ciência e tecnologia

A mais nova edição do jornal da Sedufsm (que abrange os meses de Setembro, Outubro e Novembro) já foi entregue nas caixas de correspondência dos professores sindicalizados e postada para leitura online em nosso site. A matéria central (págs. 4 e 5) faz uma discussão sobre os impactos do cenário de incerteza orçamentária na psique e no ânimo dos pesquisadores. Ainda que muitas bolsas de pós-graduação não tenham sido efetivamente cortadas, a insegurança material gerada pela possibilidade de interrupção do pagamento, aliada à desvalorização de governos e de setores da sociedade, contribui para a exaustão emocional e inventiva dos pesquisadores.

Outro destaque desta edição do jornal é o aniversário de 30 anos da Sedufsm, comemorado no último dia sete de novembro. Na matéria da página 3, convidamos o professor do departamento de Economia e Relações Internacionais da UFSM e ex-presidente da seção sindical, Ricardo Rondinel, para relembrar um pouco do cenário político e econômico do Brasil no final da década de 1980 e de suas influências na conformação do movimento sindical docente no país e em Santa Maria.

Trazemos ainda uma entrevista com o professor Luiz Fernando Reis, da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), sobre a relação entre o pagamento da dívida pública e o decrescente investimento em ciência e tecnologia.

“Não dá para entender a crise do financiamento da educação, da saúde, da ciência e tecnologia sem levar em conta que isso faz parte de uma política macroeconômica colocada em prática no Brasil desde o governo de Fernando Henrique Cardoso, não sendo interrompida nem nos governos de Lula e Dilma. Ou seja, a política econômica do Brasil tem como absoluta prioridade o pagamento da dívida pública. E a dívida funciona como um canal que drena recurso público para garantir a rentabilidade do setor financeiro, dos rentistas”, diz o docente em trecho da entrevista, que pode ser conferida, na íntegra, na página 6.

Na página 8, o professor Vitor Biasoli (História/UFSM) apresenta sua percepção sobre o filme ‘O Tradutor’ e a professora Daiana Flores (Matemática/UFSM) conta um pouco sobre sua trajetória acadêmica e os desafios reservados aos professores na atualidade.

*Caso você seja sindicalizado/a e não esteja recebendo nosso jornal em sua casa, entre em contato com o sindicato através do email sedufsm@terra.com.br ou nos fones (55) 3222-5765 e (55) 999358017.

**Se você tem alguma proposta de pauta para a próxima edição do jornal, pode entrar em contato conosco por esses mesmos endereços.

Texto: Bruna Homrich

Imagem: J. Adams Propaganda

Assessoria de Imprensa da Sedufsm

 

 



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2019 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet