ATENDIMENTO DA SEDUFSM

A Sedufsm informa que a partir de segunda, 23 de março, a sede do sindicato estará fechada e todos os atendimentos serão realizados de forma remota (online), por tempo indeterminado. Os (as) sindicalizados (as) poderão entrar em contato com a entidade das 8h às 12h e das 14h às 18h através do e-mail sedufsm@terra.com.br ou dos telefones (55) 99614-2696 e (55) 99935-8017.

Sindicato


Espaço Cultural

Reflexões Docentes

Contatos SEDUFSM

(55) 3222 5765

Segunda à Sexta
08h às 12h e 14h às 18h

Endereço

SEDUFSM
Rua André Marques, 665
Centro, Santa Maria - RS
97010-041

Email

Fale Conosco - escreva para:
sedufsm@terra.com.br

Twitter

SEDUFSM

Facebook

SEDUFSM

Youtube

SEDUFSM

Notícias

21/11/2019   21/11/19 17h48 | A+ A- | 1388 visualizações

Marcha denuncia nas ruas o sofrimento dos negros

Evento contra genocídio do povo preto ocorreu nesta quarta, 20 de novembro


Protesto teve concentração na praça Saldanha Marinho

O Movimento Negro de Santa Maria realizou na quarta, 20 de novembro, a Marcha contra o genocídio ao povo preto. A manifestação, que iniciou na praça Saldanha Marinho, às 16h, e se estendeu por algumas das ruas centrais da cidade, através de uma caminhada, ocorreu na data em que se lembra, no Brasil, o Dia da Consciência Negra. Dentre os organizadores do protesto, coletivos como o Comitê pela liberdade de Rafael Braga e o coletivo de Mulheres Negras, Dandaras à frente.

A Marcha surgiu como uma denúncia do encarceramento em massa, da guerra às drogas que atinge em maioria a juventude negra e periférica e às formas de discriminação social e racial existentes no país. “O genocídio do nosso povo não é uma política Governo, é uma política de Estado que se intensifica nos dias de hoje com o aprofundamento do estado policial, repressivo e punitivista. Estado que coloca o povo negro na miséria, priva de direitos, nega acesso a trabalho, saúde, educação e uma vida digna. Um sistema cruel que faz do extermínio de negros e negras modus operandi para as suas tropas”, ressalta em nota, o Coletivo Dandaras.

Além de representar os anseios da população negra, a Marcha representou um ato de resistência, de indignação e de pedido por justiça.  Ainda hoje, a pauta pela liberdade do catador Rafael Braga é tida como central. Desde 2013, ano em que foi preso, seu nome se tornou um símbolo de resistência frente ao racismo estrutural. O caso Rennan da Penha, preso em abril deste ano por associação ao tráfico de drogas, também entra na agenda. Os assassinatos de Marielle Franco, vereadora do Rio de Janeiro, e de Anderson, seu motorista, também foram relembrados na manifestação.

Acompanhe algumas outras fotos, abaixo (e em anexo), registradas pelo jornalista Ivan Lautert:

 

 

Texto: Fritz R. Nunes

Fotos: Ivan Lautert

Assessoria de imprensa da Sedufsm

 



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2020 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet