ATENDIMENTO DA SEDUFSM

A Sedufsm informa que a partir de segunda, 23 de março, a sede do sindicato estará fechada e todos os atendimentos serão realizados de forma remota (online), por tempo indeterminado. Os (as) sindicalizados (as) poderão entrar em contato com a entidade das 8h às 12h e das 14h às 18h através do e-mail sedufsm@terra.com.br ou dos telefones (55) 99614-2696 e (55) 99935-8017.

Sindicato


Espaço Cultural

Reflexões Docentes

Contatos SEDUFSM

(55) 3222 5765

Segunda à Sexta
08h às 12h e 14h às 18h

Endereço

SEDUFSM
Rua André Marques, 665
Centro, Santa Maria - RS
97010-041

Email

Fale Conosco - escreva para:
sedufsm@terra.com.br

Twitter

SEDUFSM

Facebook

SEDUFSM

Youtube

SEDUFSM

Notícias

29/05/2020   29/05/20 16h07 | A+ A- | 362 visualizações

ANDES-SN e CSP-Conlutas alertam para volta do ‘Future-se’ ao Congresso

Na visão das entidades, projeto intensifica privatização das universidades brasileiras


Reunião do Conselho Universitário da UFSM, em 2 de outubro, que rejeitou primeira versão do Future-se

Na última quarta-feira, 27 de maio, o governo federal encaminhou o projeto do ‘Future-se’ de volta à Câmara dos Deputados. Quando apresentado anteriormente, encontrou muita resistência por parte de estudantes, docentes e movimentos sociais, que enxergavam nele uma tentativa de mercantilizar o ensino superior público através da inserção de Organizações Sociais dentro das universidades, desresponsabilizando, assim, o Estado de investir na educação pública. Diversos Conselhos Universitários de diferentes universidades o rejeitaram. Agora, em meio à pandemia do novo coronavírus, o projeto volta à pauta de discussão no Congresso Nacional.

O presidente do ANDES-SN e membro da Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas, Antônio Gonçalves, diz que o governo de extrema direita dirigido por Bolsonaro visa avançar na pauta neoliberal através de programas como este. “Não tivemos acesso ao texto que foi enviado ao Congresso Nacional, por isso, não temos como fazer uma análise do conteúdo, porque ele vem se transformando ao longo do tempo, mas de um modo geral, nós, do Andes/SN, avaliamos que esse projeto foi enviado em um momento inoportuno, estamos em plena pandemia e, devido à restrição do rito no Congresso Nacional, deveriam tramitar projetos que venham minorar as consequencias da pandemia para a classe trabalhadora”, avalia Gonçalves, e complementa: “[…] estamos atentos e atentas, vamos nos debruçar sobre o texto final e dar continuidade a nossa luta por um projeto de educação a serviço da classe trabalhadora”.

Já a estudante e integrante do movimento estudantil Rebeldia, filiado à CSP-Conlutas, Mandi Coelho, diz que “estamos organizando os estudantes contra isso. Esse projeto é um absurdo, ano passado os estudantes fizeram várias mobilizações gigantes da educação contra ele, e é inadmissível que o centro do MEC nesse momento delicado de pandemia seja aprová-lo”.

O argumento do governo Bolsonaro para sustentar a defesa do ‘Future-se’ é de que o programa aumentaria a autonomia das universidades e sua possibilidade de captar recursos próprios. Contudo, na visão do ANDES-SN, da CSP-Conlutas e de muitas organizações sindicais e estudantis, o projeto fere de morte justamente a autonomia universitária, pois, a partir do momento em que a universidade coloca-se como dependente de recursos privados, a função social de sua pesquisa é penalizada.

Cabe lembrar que, em outubro do ano passado, o Conselho Universitário da UFSM, em reunião aberta, aprovou nota em que se posicionava contrário ao 'Future-se'.

Fonte: CSP-Conlutas

Foto: Arquivo/Sedufsm

Edição: Bruna Homrich

Assessoria de Imprensa da Sedufsm



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2020 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet