ATENDIMENTO DA SEDUFSM

A Sedufsm informa que a partir de segunda, 23 de março, a sede do sindicato estará fechada e todos os atendimentos serão realizados de forma remota (online), por tempo indeterminado. Os (as) sindicalizados (as) poderão entrar em contato com a entidade das 8h às 12h e das 14h às 18h através do e-mail sedufsm@terra.com.br ou dos telefones (55) 99614-2696 e (55) 99935-8017.

Sindicato


Espaço Cultural

Reflexões Docentes

Contatos SEDUFSM

(55) 3222 5765

Segunda à Sexta
08h às 12h e 14h às 18h

Endereço

SEDUFSM
Rua André Marques, 665
Centro, Santa Maria - RS
97010-041

Email

Fale Conosco - escreva para:
sedufsm@terra.com.br

Twitter

SEDUFSM

Facebook

SEDUFSM

Youtube

SEDUFSM

Notícias

04/06/2020   04/06/20 11h15 | A+ A- | 390 visualizações

CSP-Conlutas pede que PGR afaste presidente da Fundação Palmares

Sérgio Camargo chamou, durante reunião, o movimento negro de “escória maldita”


Camargo (ao centro, de terno) usou expressão chula para qualificar Zumbi dos Palmares

A central sindical CSP-Conlutas entrou com uma representação na Procuradoria Geral da República (PGR) pedindo o afastamento do presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo. O órgão é vinculado ao governo federal. O motivo da denúncia à PGR são os áudios vazados, pelo jornal O Estado de São Paulo, de uma reunião ocorrida no dia 30 de abril, na qual Camargo chama o movimento negro de “escória maldita”.

Para o advogado da central, Waldemir Soares, “é um absurdo que Camargo ainda esteja à frente da Fundação Palmares desferindo declarações de ódio e racistas contra o movimento negro. Vamos entrar com essa representação por sua saída. Está comprovado que ele não tem condições de presidir uma fundação que deveria defender direitos do movimento, não atacar”, frisa o assessor jurídico.

A representação protocolada nesta quarta-feira (3) pela Central reforça que a Fundação Palmares está sendo prejudicada. “O áudio captado, também comprova que, a partir do posicionamento pessoal do denunciado, as prerrogativas da Fundação Palmares estão prejudicadas. Ora, como conduzir os trabalhos a partir de um presidente que não respeita os valores culturais, históricos, sociais e econômicos da influência negra na formação da sociedade brasileira?”, reitera o documento.

Em trechos divulgados do áudio, o presidente da Fundação Palmares disse que “Zumbi era “filho da p* que escravizava pretos”. Também fez críticas ao Dia da Consciência Negra e a religiões de matrizes africanas, chamando uma mãe de santo pejorativamente de “macumbeira”.

Diante de tais declarações, a representação protocolada pela CSP-Conlutas  apontou ainda que “a permanência do denunciado na função pública que exerce, fere de morte os princípios da legalidade, imparcialidade, moralidade e eficiência contidos no artº 37 da Constituição Federal”.

A CSP-Conlutas, por meio da representação, solicitou que seja instaurado procedimento administrativo para apurar possível prática de Improbidade Administrativa e demais crimes tipificados nos art. 140 e 208 do Código Penal. Além disso, que Camargo seja notificado para prestar esclarecimento sobre o áudio tonado público e prestação de contas das atividades da Fundação Palmares.

 

Fonte: Portal da CSP-Conlutas

Imagem: Fundação Palmares

Edição: Fritz R. Nunes (Sedufsm)



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2020 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet