MOBILIZAÇÃO CONTRA REFORMA ADMINISTRATIVA

Sindicato

ATENDIMENTO DA SEDUFSM

A Sedufsm informa que a partir de segunda, 23 de março, a sede do sindicato estará fechada e todos os atendimentos serão realizados de forma remota (online), por tempo indeterminado. Os (as) sindicalizados (as) poderão entrar em contato com a entidade das 8h às 12h e das 14h às 18h através do e-mail sedufsm@terra.com.br ou dos telefones (55) 99614-2696 e (55) 99935-8017.


Espaço Cultural

Reflexões Docentes

Contatos SEDUFSM

(55) 3222 5765

Segunda à Sexta
08h às 12h e 14h às 18h

Endereço

SEDUFSM
Rua André Marques, 665
Centro, Santa Maria - RS
97010-041

Email

Fale Conosco - escreva para:
sedufsm@terra.com.br

Twitter

SEDUFSM

Facebook

SEDUFSM

Youtube

SEDUFSM

Notícias

01/12/2020   01/12/20 15h08 | A+ A- | 777 visualizações

Ministra do STF vota contra ação que pede revogação da lei que criou a Ebserh

Voto de Cármem Lúcia, relatora da ADI, foi publicado na última sexta, 27 de novembro


Cármem Lúcia, ministra do STF: voto contrário à ADI que questiona criação da Ebserh

Na última sexta, 27 de novembro, o Supremo Tribunal federal (STF) publicou o voto da ministra Cármem Lúcia, relatora da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI nº 4.895/2013), que questiona a criação da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), responsável pela gestão da grande maioria dos hospitais universitários federais. A integrante do STF votou contra a ADI e há uma expectativa, especialmente entre os trabalhadores da Ebserh, que a posição da ministra seja seguida pelos seus pares. O prazo para o voto no plenário virtual se estende até a próxima sexta, 4 de dezembro.

A ADI, encaminhada no ano de 2013, foi elaborada pela Procuradoria Geral da República (PGR) e contraditada pela Advocacia Geral da União (AGU), órgão responsável pela defesa jurídica das medidas do governo. Diz um dos trechos da ADI 4.895/2013, publicado no site 'Jus Brasil':

"Sustenta-se que a autorização para criação da EBSERH seria inconstitucional, diante da ausência de lei complementar federal definindo as áreas de atuação das empresas públicas, quando dirigidas à prestação de serviços públicos, consoante dispõe o art. 37, XIX, da Carta Magna. Argui-se, ainda, que se tratando de empresa pública prestadora de serviço público de assistência à saúde, inserida integral e exclusivamente no âmbito do SUS, não seria possível 'emprestar-lhes natureza diversa da pública', submetendo-se, portanto,'ao conjunto de normas integrantes do art. 37 da CR, vocacionadas a organizar a prestação do serviço público'. Em razão disso, seriam inconstitucionais as previsões de contratação de servidores pela CLT e de celebração de contratos temporários de emprego."


Texto: Fritz R. Nunes
Fonte: Condsef e Jusbrasil
Foto: EBC
Assessoria de imprensa da Sedufsm



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2021 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041