MOBILIZAÇÃO CONTRA REFORMA ADMINISTRATIVA

Sindicato

ATENDIMENTO DA SEDUFSM

A Sedufsm informa que a partir de segunda, 23 de março, a sede do sindicato estará fechada e todos os atendimentos serão realizados de forma remota (online), por tempo indeterminado. Os (as) sindicalizados (as) poderão entrar em contato com a entidade das 8h às 12h e das 14h às 18h através do e-mail sedufsm@terra.com.br ou dos telefones (55) 99614-2696 e (55) 99935-8017.


Espaço Cultural

Reflexões Docentes

Contatos SEDUFSM

(55) 3222 5765

Segunda à Sexta
08h às 12h e 14h às 18h

Endereço

SEDUFSM
Rua André Marques, 665
Centro, Santa Maria - RS
97010-041

Email

Fale Conosco - escreva para:
sedufsm@terra.com.br

Twitter

SEDUFSM

Facebook

SEDUFSM

Youtube

SEDUFSM

Notícias

26/01/2021   26/01/21 17h51 | A+ A- | 453 visualizações

PEC que reduz salário de servidor pode ser votada esse semestre

Equipe de Bolsonaro condiciona volta de auxílio emergencial a corte salarial no serviço público


Rodrigo Maia (e) tem feito críticas a Bolsonaro, mas é um defensor da PEC que reduz salário de servidor

A Proposta de Emenda Constitucional (PEC emergencial) 186/19, que possibilita o corte de jornada dos servidores com proporcional redução dos salários, pode ser votada ainda no primeiro semestre de 2021. Essa é a previsão dentro do próprio Congresso Nacional, que está sendo pressionado pelo presidente Jair Bolsonaro e equipe econômica liderada por Paulo Guedes. O governo fala que a aprovação da PEC 186 é um dos requisitos para que se viabilize o retorno do auxílio emergencial, criado em 2020 para dar apoio à população atingida pelos efeitos econômicos da pandemia de Covid-19.

A PEC Emergencial prevê 'gatilhos' para serem acionados em períodos de grave crise fiscal. No caso, por exemplo, de a União descumprir a chamada regra de ouro, poderá lançar mão das medidas: além do corte de jornada e remuneração, o texto abre possibilidade para congelamento de concursos e de contratações. Para os estados e municípios, a proposta garante esses mecanismos de ajuste quando a despesa corrente ultrapassar 95% da receita corrente desse ente da federação.

A equipe econômica do governo trabalha na defesa do avanço da PEC, e o candidato à presidência da Câmara Federal, Arthur Lira (PP-AL) - nome do presidente Jair Bolsonaro -, já demonstrou esse apoio. Seu adversário, Baleia Rossi (MDB-SP), candidato do atual chefe da Casa legislativa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não tem dado muitas declarações sobre o projeto. Mas sabe-se que Maia trata o assunto (aprovação da PEC) como prioridade, tendo feito a defesa dessa proposta, em público, diversas vezes.

Todavia, os gatilhos previstos no projeto são criticados pelas categorias do funcionalismo público, que apontam prejuízos à prestação de serviços à população. Além disso, há um entendimento de que a medida acaba penalizando os servidores e a sociedade, enquanto outras iniciativas poderiam ser adotadas. Entidades que representam o funcionalismo público preparam uma jornada de lutas para os próximos dias.

 

Texto: Fritz R. Nunes com informações de ‘O Dia’

Foto: EBC

Assessoria de imprensa da Sedufsm



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2021 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041