MPF recomenda que a UFSM revogue títulos honoris causa concedidos a militares SVG: calendario Publicada em
SVG: atualizacao Atualizada em 08/02/24 11h37m
SVG: views 449 Visualizações

Costa e Silva e Castello Branco foram responsáveis por graves violações de direitos humanos

Alt da imagem
Os ex-presidentes do Brasil Costa e Silva (à esquerda) e Castello Branco (à direita).

O Ministério Público Federal (MPF) recomendou ao reitor da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Luciano Schuch, revogue ou casse os títulos honoríficos de doutor e professor honoris causa concedidos aos marechais Arthur da Costa e Silva e Humberto de Alencar Castello Branco.

Os militares, que presidiram o Brasil durante o regime ditatorial civil-empresarial-militar, são considerados autores e responsáveis por graves violações de direitos humanos no plano de responsabilidade político-institucional, conforme aponta o Relatório da Comissão Nacional da Verdade. O relatório expressou explicitamente a recomendação de revogação ou cassação de todas as homenagens concedidas a indivíduos associados às violações de direitos humanos ocorridas durante o referido regime.

A recomendação do MPF, assinada pelo procurador regional dos Direitos do Cidadão no Rio Grande do Sul, Enrico Rodrigues de Freitas, concedeu prazo de 30 dias para que a reitoria da UFSM responda sobre o acatamento ou não da recomendação e prazo de 60 dias para que o Conselho Universitário delibere sobre o assunto e providencie a revogação ou cassação dos títulos.

“Professores, estudantes e servidores da Universidade Federal de Santa Maria foram diretamente atingidos pelos atos de exceção indicados, através de expurgos diretos ou de forma difusa pela restrição de direitos de reunião e de manifestação de pensamento, entre outros direitos violados, situação que torna incompatível a permanência de concessão de títulos honoríficos a pessoas que foram responsáveis pelas referidas violação de direitos humanos inclusive de membros da própria comunidade universitária”, pontuou o procurador, na recomendação.

Cabe destacar que em janeiro de 2022, o MPF emitiu recomendação semelhante à Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), que posteriormente aprovou a revogação dos títulos de Professor Honoris Causa e Doutor Honoris Causa concedidos em agosto de 1967 e junho de 1970, respectivamente, a Arthur da Costa e Silva e Emílio Garrastazu Médici.

Lembrar para não repetir

Os títulos honoríficos de Doutor Honoris Causa e Professor Honoris Causa foram concedidos pela UFSM aos marechais Humberto de Alencar Castello Branco e Arthur da Costa e Silva entre 1966 e 1968. 

Costa e Silva, entre outros atos, assinou o Ato Institucional nº 1 (AI-1), em 9 de abril de 1964, na qualidade de General do Exército, que destituiu o governo constitucional de João Goulart. Além disso, decretou o Ato Institucional nº 5 (AI-5) em 13 de dezembro de 1968, que determinava atos autoritários e discricionários como o recesso parlamentar, a possibilidade de suspensão dos direitos políticos de qualquer cidadão e de garantias constitucionais, como habeas corpus, e a cassação de mandatos eletivos federais, estaduais e municipais.

Castello Branco, por sua vez, foi um dos articuladores do golpe militar de 1964 e o primeiro presidente da ditadura militar no Brasil. Ele assinou o Ato Institucional nº 2 (AI-2), em 27 de outubro de 1965, que acabou com o pluripartidarismo, instituiu a eleição indireta para a Presidência da República e dava ao chefe de Estado brasileiro o direito de cassar os mandatos de todos os políticos eleitos e de suspender os direitos políticos de qualquer cidadão por dez anos.
 

Texto: Karoline Rosa (jornalista), com informações da Assessoria de Comunicação Social do MPF
Fotos: Reprodução
Arte: Italo de Paula
Assessoria de Imprensa da SEDUFSM

 

SVG: camera Galeria de fotos na notícia

Carregando...

SVG: arquivo-download Documentos

- Recomendação nº 5/2024/PRDC/PR/RS

SVG: jornal Notícias Relacionadas

Sedufsm promove assembleia na segunda(22), para avaliar a adesão ou não à greve nacional

SVG: calendario 19/04/2024
SVG: tag Sedufsm
Com início às 8h30, a plenária acontece em dia de paralisação e de forma simultânea nos quatro campi da instituição

“O povo palestino tem direito à insurgência e à luta armada”, afirma Breno Altman

SVG: calendario 18/04/2024
SVG: tag Sedufsm
Em entrevista ao Ponto de Pauta, jornalista fala sobre conflito entre Israel e Palestina

Sedufsm participa da ‘Jornada de Lutas em Brasília’

SVG: calendario 18/04/2024
SVG: tag Sedufsm
Entre as atividades, houve audiência na Câmara dos Deputados e Marcha na capital federal

Veja todas as notícias