Greve Solidária presta assistência a famílias afetadas pelas enchentes no RS SVG: calendario Publicada em
SVG: atualizacao Atualizada em 07/06/24 15h13m
SVG: views 126 Visualizações

Iniciativa criada pelo CLG auxiliou Banco de Alimentos e também famílias ligadas à comunidade acadêmica, com recursos que totalizam 30 mil reais

Alt da imagem
Entrega de materiais escolares no CCSH realizada, no dia 29 de maio, pelo Comando Local de Greve (CLG).

A categoria docente está em um movimento paredista desde o último dia 25 de abril. No entanto, no dia 7 de maio, o Comando Local de Greve (CLG) decidiu reverter suas ações em diversas atividades da Greve Solidária em função das enchentes que assolaram o Rio Grande do Sul.

Para o diretor da Sedufsm, Leonardo Botega,  a iniciativa da Greve Solidária, “surge como uma ação dentro da greve docente em resposta às crises sócio-climática no RS. Uma forma de amenizar o sofrimento dos atingidos,  garantir um pouco de dignidade diante de um momento onde as desigualdades se aprofundam”, destaca o diretor da Sedufsm.

A diretora da Sedufsm, Liane Weber, conta que a partir da criação da campanha, “passamos a nos reunir diariamente na sede da SEDUFSM e criamos 2 comissões para atender às muitas demandas que chegaram à nossa Seção Sindical. Assim, foi criada a Comissão de Comunicação (para agilizar as informações sobre as doações) e a Comissão de Greve Solidária ”, declara a diretora da Sedufsm. 

Até o momento, a iniciativa prestou apoio ao Banco de Alimentos, entidade responsável por abastecer cozinhas solidárias, e ainda auxiliou algumas famílias das vilas Brenner, Nova Santa Marta, Maringá e do Assentamento Madre Terra. Também foram enviados colchões para a Quarta Colônia, materiais escolares para escolas em Agudo, roupas para o Projeto Esperança, brinquedos para a ação solidária do CEFD. Houve auxílio financeiro a alguns docentes que sofreram danos. Todos esses apoios representaram cerca de 30 mil reais,

Fundo solidário 

Para viabilizar essas ações, foi organizado o Fundo Solidário, instrumento emergencial, criado para um período de 3 meses a partir de maio de 2024, com destino para atender as demandas de curto e médio prazo das comunidades atingidas pelas enchentes.  Esse fundo é composto por rendimentos próprios da Sedufsm e repasses emergenciais da diretoria do ANDES-SN. Os recursos são utilizados para a compra de materiais e/ou serviços de reparo necessários.

“Num primeiro momento, atendemos às solicitações de docentes e trabalhadores(as) da SEDUFSM que tiveram suas casas inundadas. No momento seguinte, atenderemos os projetos de reconstrução”, informa Liane. 

Além dos valores referente aos rendimentos das aplicações financeiras da SEDUFSM, Leonardo declara que a campanha também conta com os valores das doações em PIX que são utilizadas para ações de compra de materiais demandados por ações solidárias próprias ou de parceiros, especialmente, ligados à comunidade acadêmica. 

Doações

A Sedufsm continua arrecadando donativos, de segunda a sexta,  das 8h às 12h e das 14h às 17h. O carro do sindicato também está disponível para a retirada de donativos. Para doações em dinheiro, por PIX, pode ser utilizada a seguinte chave: solidariedaders@sedufsm.org.br 

 

 

Texto e fotos: Karoline Rosa 
Assessoria de Imprensa da Sedufsm

 

SVG: camera Galeria de fotos na notícia

Carregando...

SVG: jornal Notícias Relacionadas

Economista do DIEESE fala sobre perdas salariais da categoria docente

SVG: calendario 21/06/2024
SVG: tag Greve 2024
Mariel Angeli Lopes foi a entrevistada da 90ª edição do Ponto de Pauta

CNG do ANDES-SN define rumos da greve neste final de semana

SVG: calendario 21/06/2024
SVG: tag Greve 2024
Assembleia da Sedufsm encaminhou ao Comando Nacional indicativo de fim da greve

Assembleia docente na UFSM aprova indicativo de saída da greve para 25 de junho

SVG: calendario 19/06/2024
SVG: tag Greve 2024
Professores e professoras também decidiram indicar ao ANDES-SN que assine acordo com o governo

Veja todas as notícias