Ato na UFSM em protesto contra retorno do semestre acadêmico SVG: calendario Publicada em
SVG: atualizacao Atualizada em 20/05/24 11h01m
SVG: views 282 Visualizações

Manifestação ocorreu na manhã desta segunda, 20, no arco de entrada do campus sede

Alt da imagem
Estudantes manifestaram inconformidade sobre retorno às aulas em meio à catástrofe climática

No início da manhã desta segunda, 20 de maio, ocorreu um protesto convocado pelo DCE e diversos coletivos estudantis, no arco de entrada do campus sede da UFSM, em Santa Maria. A manifestação foi uma resposta crítica motivada pelo anúncio da Reitoria, semana passada, do retorno às atividades acadêmicas a partir desta segunda-feira. Representantes do Comando de Greve da Sedufsm e também da Assufsm estiveram presentes em solidariedade à atividade discente.

Com faixas e cartazes, os e as estudantes reclamavam de um retorno às aulas em meio aos efeitos da emergência climática, que atinge não apenas quem mora em Santa Maria, mas também aqueles/as que são oriundos/as de outros municípios. O acesso de entrada ao campus era bloqueado por alguns minutos, para que expusessem através de falas ao microfone o descontentamento com a postura da Reitoria e, na sequência, o trânsito era liberado. Após o ato, manifestantes dirigiram-se em caminhada até a frente do Restaurante Universitário, onde ocorreria uma assembleia estudantil.

Para o diretor da Sedufsm, Leonardo Botega, foi fundamental “estar presente em uma atividade em que os principais afetados por essa falta de planejamento no retorno do semestre acadêmico, que são os estudantes, demonstraram sua inconformidade”. Em sua avaliação, ressalta também que “em 24h ou 48h não tem como mudar uma situação que é estrutural. Temos prédios na UFSM com problemas muito sérios, inclusive, alguns, interditados".

Leonardo assinala ainda que não houve uma centralização de dados de como estão as condições da comunidade acadêmica, quem foi afetado e como foi afetado. “Então, um retorno sem um diagnóstico e sem uma precisão, é mais um improviso.”

No entendimento do diretor da Sedufsm “o que (nós) precisávamos neste momento não era um retorno dentro de um panorama de insegurança, mas sim, uma ação coordenada que desse as condições para que todos pudéssemos atuar em segurança, sem que tivéssemos setores prejudicados e fragilizados”. Além do que, complementa ele, “uma volta que não leva em conta a situação de greve da educação é um agir fazendo de conta que estamos em uma normalidade”.

Em relação à questão do retorno do semestre acadêmico anunciado pela Reitoria da UFSM, o Comando Local de Greve (CLG) docente se manifestou através de nota publicada no site da Sedufsm na quinta, 16 de maio, e também divulgada no jornal Diário de Santa Maria, na sexta, 17 de maio.
 

Texto e fotos: Fritz R. Nunes
Assessoria de imprensa da Sedufsm

SVG: camera Galeria de fotos na notícia

Carregando...

SVG: jornal Notícias Relacionadas

ANDES-SN assina acordo resultante da greve com o governo federal

SVG: calendario 28/06/2024
SVG: tag Greve 2024
Presidente da Sedufsm diz que conteúdo assinado foi o possível e recoloca o sindicato como protagonista

Sedufsm informa Reitoria sobre fim da greve e entrega moção de repúdio

SVG: calendario 28/06/2024
SVG: tag Greve 2024
Sindicato comunicou volta das aulas em 1º de julho e repassou documento aprovado em assembleia

Docentes da UFSM finalizam greve e aprovam retorno às aulas em 1º de julho

SVG: calendario 27/06/2024
SVG: tag Greve 2024
Assembleia também aprovou moção de repúdio à Reitoria devido à forma como foi encaminhado o calendário acadêmico

Veja todas as notícias